Lua nova de Carneiro, Abril 2021

Engraçado…. deu-me vontade de escrever!!!! Porque, como está à vista, tenho andado arredada deste contexto. Pois bem tudo se relaciona com a Lua nova de Carneiro, e talvez até esta súbita apetência pela partilha de informação, seja consequência de o início (coisa de Carneiro) de alguma coisa por aqui. Não sei, não faço ideia. Habituei-me a esta postura de ser “apenas” um instrumento da vontade do meu Eu Superior, da minha Consciência, da minha Alma…. nem sei qual a melhor expressão! Qualquer uma serve, porque as palavras são mais  apropriadas para descrevermos o mundo causal e psicológico, bastante menos para expressarmos dimensões extra humanas. Notem que escrevi “apenas” e as aspas dizem tudo. De facto tudo o que deveríamos aspirar era a sermos instrumentos do nosso EU (Eu Superior)! Só dessa forma ficamos a salvo de viroses, daqueles que as inventaram também, e mesmo que as contrariedades batam à porta, olhamos para baixo e vemos uma rede que nos suportará se cairmos!

Mas vamos então ao que me trouxe aqui, que de facto não foi a Lua nova de Carneiro que aconteceu na madrugada anterior às 3.30 h. O que aconteceu foi  um acontecimento banal lembrar-me dum aspecto de Aquário por onde transita Saturno e Júpiter. Com Saturno em Aquário a nossa percepção da realidade está dentro dos parâmetros desta energia. As palavras chave ajudam-nos a perceber com que “filtros” estamos a interpretar a realidade. Pois bem, de Aquário faz parte sentirmos que pertencemos a grupos específicos. Por exemplo dentro da sociedade, que é simbolizada por Capricórnio, existe o grupo de pessoas que se interessam por Astrologia, ou o grupo de pessoas que têm como passatempo a numismática, ou…. milhões de possibilidades. Como é óbvio todos nós pertencemos a vários grupos. Reparem como alguns membros da sociedade olham de lado e torcem o nariz ao pessoal da astrologia… um bando de doidos supersticiosos, pensarão…. mas dificilmente acontece o mesmo aos da numismática. Ou seja há grupos que são condenados e mesmo ostracizados pela sociedade no seu geral. Ora muito bem, então não é que o grupo de pessoas que assumem frontalmente uma posição contra a pandemia fraudulenta são de facto olhados de lado e de facto ostracizados e de facto apontados até como um perigo para a sociedade e para a saúde pública? Isto foi o que colectivamente Saturno concretizou. Qual a correspondência em termos individuais: sumariamente podemos nos sentir rebeldes a lutar contra a maré, podemos nos sentir desagradavelmente colocados à parte, pode ser também uma situação traumática para quem sabe tudo isto ser uma mentira e no entanto por inúmeras razões não pode simplesmente fazer valer a sua vontade de ser livre e deixar entrar lkivremente o prana (energia vital)  dentro do seu corpo, que no fundo é o templo do EU. Três exemplo negativos de como a nossa realidade se concretizou.

Há cerca de 30 anos eu vivi o lado negativo de Saturno em Aquário. Sucede que fiquei desempregada durante muito tempo. Não ter uma actividade profissional durante um período de tempo alargado foi devastador, o meu mundo interno literalmente ruiu. Sentia que a Vida me tinha isolado do resto do mundo, sentia-me posta de lado! Foi brutalmente traumático! Lembro-me de olhar pela janela o movimento das pessoas que de manhã se deslocavam para os empregos, aquelas que iam deixar os filhos a uma escola mesmo em frente da minha casa na altura. Lembro-me da vontade de pertencer aquele grupo de gente. Havia uma imagem, um filme, que me assolava: eu tinha caído num buraco muito fundo. Olhava para cima e via as pessoas que sem me  verem, faziam a sua vida normal…. aquilo que eu considerava normal…. Eu gritava para que me ouvissem e alguém lançasse uma escada de forma que eu pudesse subir e regressar à luz (como se imagina no fundo de um buraco está escuro). Mas tal não aconteceu. Foi uma fase muito difícil, e claro, deixou marcas. Porém…. ahhhhhhhhhhhh porém… eu apenas tinha começado a escalar a minha montanha sagrada, só que não sabia! Encurtando a narrativa, diria que nestes anos, lambi as feridas, tentei voltar a essa sociedade xpto, voltei a ver a Vida dizer-me que não, não é esse o teu caminho, lambi as feridas novamente e eis que cheguei a um patamar em que sinto que não faço parte da sociedade existente mas também sinto uma alegria enorme por isso!!! O estado mental consensual coloca-me aqueles rótulos que pretendem desmoralizar todos os que se recusam a engolir o blá blá blá pandémico oficial. Pois olha…. é para o lado que durmo melhor! O último a rir é sempre o que ri melhor!

Tudo isto inundou a minha cabeça cedo pela manhã. Vou contar-vos porquê. Tenho andado a destralhar o meu lar doce lar há já bastante tempo. Agora entrei na recta final e tenho muitas coisas que estando em boas condições seria uma lástima simplesmente irem para o lixo. Aderi a um grupo de destralhe no facebook e a primeira publicação foi para encontrar casa para sete pastas de arquivo novas, ainda embaladas, restos da segunda tentativa de pertencer a uma certa forma de estar em sociedade que não faz parte dos planos superiores. Apareceu logo uma senhora interessada e combinamos que hoje ela viria buscar as pastas. Eu recuso usar máscara, só uso em caso de estritamente necessário, em algumas lojas onde permaneço muito pouco tempo, por exemplo. Nos supermercados uso viseira. Pareço uma astronauta lunática, mas respiro, e isso é que me interessa. Sendo esta a minha postura, dei conta dela à senhora. Sugeri que se não quisesse ficar fisicamente próxima de mim, podia simplesmente deixar o porta bagagens aberto, ficar dentro do carro que eu colocaria as pastas lá dentro. Respondeu-me que usa máscara mas não se incomodaria por eu não usar. Quando chegou, desci, ela aproximou-se, dei-lhe as pastas e pronto. Fiquei verdadeiramente feliz por ter despachado mais uns objectos a ocupar espaço cá em casa, que por sua vez vão ser úteis noutro lado. Fiquei também muito feliz por verificar que até é possível “mascarados” e “desmascarados” interagirem sem stresses desnecessários. Muito feliz também por sentir que desta vez Saturno em Aquário para mim está a revelar-se um tempo de novos projectos futuros, desta vez alinhados com os planos superiores. Muito feliz também porque há uma palavrinha mágica que faz toda a diferença aqui para a “je”, a palavrinha liberdade que cada vez mais se revela na minha realidade pessoal. Porque de facto apesar de no mundo lá fora existirem vampiros, que obedecem cegamente a ordens de psicopatas, sem um pingo de discernimento que depois multam senhoras idosas que estavam a comer um bolo e a beber um café na rua, outras senhoras que estavam a comer uma sopa dentro do carro, senhores que comiam uma sandes também dentro do carro, que vigiam se as crianças dão abraços, estes trambolhos …. serão reptilianos? eheheheheh….. não conseguem passar a barreira da minha energia, da minha vibração.

Aspiro ver uma sociedade que ao olhar para os malucos sem máscara e sem medo de viver, em vez de lhes apontarem o dedo, queiram ter exactamente a mesma experiência de viverem em liberdade. Porque o contrário é terem que suportar os aspecto negativos de Aquário, depois de Peixes (nem sabem no que se metem!), depois de Carneiro… e por aí fora. Para quem está neste limbo, aproveitem a Lua nova de Carneiro e iniciem-se em posturas saudáveis perante a Vida, tomem para vós mesmos o papel de Iniciados, escolham ser súbitos dos vossos planos Superiores e atirem com as ordens dos psicopatas para o inferno.

A Lua nova de Carneiro foi às 3.30h no grau 22º24´, em sextil a Júpiter em Aquário e quadratura a Plutão em Capricórnio. Não é uma questão de escolha, a realidade e a forma como a sociedade está estruturada estão a sofrer uma metamorfose (Plutão). Há um futuro que não pede permissão aos humanos para entrar, vai entrar mesmo! Aderirem a transformações positivas traz-vos um futuro (Aquário) com as características positivas de Aquário. Manterem-se no grupo dos que se afundam dá-vos de bandeja os aspectos negativos de Aquário. Liberdade e libertação do passado são temas de Aquário. Ponto final!

Share Button